Torre de Aprendizagem (ou torre Montessori)

Para quem não sabe, Montessori é um método criado por uma senhora chamada Maria Montessori que tem como principal objetivo promover a autonomia e liberdade da criança, respeitando o seu crescimento natural. (Se quiserem saber mais vejam esta página)

Acredita-se (e eu acredito também) que as crianças têm uma capacidade natural de aprendizagem e nós estamos aqui para as ajudar/guiar, e não determinar o quando e o quê elas irão aprender, respeitando o seu tempo e deixando essa capacidade fluir na altura certa, sendo que cada criança é diferente e umas aprendem mais rápido, outras mais devagar, umas primeiro começam a andar e outras a falar… Infelizmente ainda não é o que acontece nas nossas escolas, onde todas as crianças têm de aprender a mesma matéria independentemente de ser do seu interesse ou não. Mas podemos pelo menos aplicar isto em casa.

Esta torre é uma das “ferramentas” que podem ajudar as crianças na sua autonomia e interesse, neste caso, na confecção de alimentos, na execução de algumas tarefas e na vontade natural que muitas crianças têm, numa determinada altura, em quererem ajudar e sentirem-se úteis, noto muito isso na Olívia, a satisfação que ela tem em me ajudar (ou pensar que está a ajudar). Quando vi que ela pedia muito para vir ao colo para ver o que se passava em cima da bancada e saber o que eu estava a fazer, decidi que era altura certa de fazer a torre (ela tem 17 meses). Adoro cozinhar (caso não tenham reparado :)) e passo muito tempo na cozinha, por isso fazia todo o sentido para nós, e nunca pensei que ela fosse adorar tanto estar lá em cima, pede várias vezes ao dia para a colocar lá, ainda não consegue subir sozinha, mas o objetivo será ela subir e descer sem ajuda.

Sigo nas redes sociais a Joana do blog Just Natural Please que faz algumas partilhas sobre a parentalidade e concordo em muito com o que ela escreve, se ainda não conhecem a página vão lá espreitar, são muito inspiradoras as suas reflexões. Isto para dizer que foi lá que vi pela primeira vez esta torre (publicação da Joana), quando ela fez uma para o JD. Entretanto, pesquisei mais sobre os benefícios e vantagens de ter este “mono” na cozinha, sim porque ocupa espaço e digamos que não é o supra-sumo da beleza, mas na minha opinião vale mesmo a pena e a miúda adora, já para não falar das vantagens, que no nosso caso são:

  • Fica entretida enquanto cozinho, tenta imitar-me e fazer o seus cozinhados com os desperdicíos dos vegetais e das frutas, ou brincar com água…
  • Desperta-lhe interesse nos alimentos, vê-me a prepará-los e por vezes quer provar, normalmente crus e acaba por deitar fora e fazer caretas mas o facto de querer provar já é muito bom.
  • Aos poucos vai aprendendo algumas tarefas e um dia vai cozinhar algo delicioso para a mãe 😛

ATENÇÃO

Como em quase tudo o que é destinado às crianças, há alguns cuidados a ter. A torre é relativamente segura mas não deixem os pequenos sozinhos em cima dela e vão para outra divisão, pois eles não marotos e podem cair ou balançarem-se com força e a torre tombar. Também há que ter muita atenção aos utensílios perigosos que possam estar ao alcance deles, principalmente facas, sempre que as usem e eles estão na torre colocar o mais longe possível, não pode haver descuidos em relação a isso.

Agora sim, como fazer uma torre de aprendizagem de uma maneira simples e pouco dispendiosa, pois existem torres já feitas à venda mas sai mais caro. Tal como a Joana, comprámos estes dois bancos do IKEA:

O primeiro banco, montámos todo normalmente, sendo que o tampo em vez de aparafusado no topo, aparafusamos em baixo, o segundo banco montámos segundo as instruções do IKEA. Depois com 4 parafusos suficientemente compridos para perfurar as 2 bases, unir os dois bancos, deixando as 2 bases alinhadas no lado do degrau. Deixámos as 4 travessas no primeiro banco, pois a Olivia ainda não sobe sozinha mas depois iremos tirar a travessa de baixo para ela conseguir subir. (se ficaram com dúvidas perguntem)

O acabamento, podem pintar da cor que quiserem, com uma tinta lavável, ou apenas envernizar, para preservar melhor a madeira e conseguirem limpar a torre quando necessário (ou seja muitas vezes) com um pano húmido. Para protejer ainda mais a base, que é onde se suja mais, usei um plástico transparente que o IKEA vende para colocar a protejer gavetas, cortei à medida e fixei com pioneses.

Aqui podem ver passo a passo como a Sofia do blog Criar Comer Crescer fez a dela, ficou muito bem e até tem mais espaço, em largura, para a criança se movimentar lá em cima, talvez mais tarde faça um upgrade à nossa.

A nossa Learning Tower ou torre de aprendizagem – DIY

17 de Setembro, 2018   |       |   

Deixe o seu comentário

O seu email não estará visivél nem será partilhado.

*

* Campos obrigatórios

*

46 − = 36