Sobre

 

Olá, sou a Sónia e tenho 28 anos, sou designer gráfica de profissão e neste momento trabalho desde casa como freelancer.

Foi em 2013, através da minha cunhada, Vegan aos 30, que eu e o Bruno descobrimos o Veganismo. A curiosidade levou-nos a ver alguns documentários, entre eles o Earthlings, que foi sem dúvida o mais marcante. A partir dos conhecimentos que adquirimos, surgiu em ambos uma consciência renovada sobre a alimentação, o vestuário e tudo o que isso implica. Não quisemos continuar a fazer parte de um ciclo que não só causa sofrimento aos animais, como prejudica a nossa saúde e o planeta. Apoiámo-nos mutuamente durante todo o processo de mudança, o que sem dúvida facilitou a nossa aventura pelo mundo do Veganismo.

Partimos do zero, mas a aprendizagem tem sido contínua e as mudanças que implementamos na nossa vida quotidiana proporcionam-nos um crescimento pessoal constante.

Ao longo destes 5 anos, temos vindo a notar que existem cada vez mais pessoas a despertar para uma nova consciência da realidade, o que leva à prática de um estilo de vida mais saudável e livre de crueldade. Com o Veganismo surgiu também o desejo de uma vida mais ecológica e sustentável, pelo que, diariamente tento caminhar nesse sentido e acredito que mesmo as pequenas mudanças podem fazer a diferença.

Sempre gostei de cozinhar, mas quando alterei a minha alimentação contactei com todo um novo mundo de ingredientes ainda por explorar. O gosto acabou por se transformar em paixão e pouco tempo depois de me tornar vegana, criei o Green Food. O blog surge da vontade de partilhar as receitas que vou criando e adaptando, para além de ser também uma ótima forma de mostrar aos mais céticos que não é necessário sacrificar a vida dos animais: a comida vegetariana é tão ou mais deliciosa do que a alimentação convencional.

Em 2017 tornei-me mãe, de uma Olívia, e o meu desejo é passar-lhe todos os valores que tenho vindo a aprender nos últimos anos. Na altura certa ou consoante a sua curiosidade, irei explicar-lhe o porquê de não comermos animais, ela fará a sua escolha e eu irei respeitar. Porém, acredito que as crianças têm um nível de sensibilidade maior que os adultos e uma empatia natural com os animais, pelo que o seu instinto primário será protegê-los.

Da nossa família fazem ainda parte dois gatos, o Tobias e o Whisky, e o cão Chico. Todos juntos fazemos uma casa cheia, cheia de amor (e de pêlos por todo o lado!).